dezembro 09, 2011

Mais

Mais do que tempo,
Lembranças, saudades.
Desejos.
Não somo iguais todos os dias.
Para cada dia termos uma história diferente.
Quero mais.

setembro 21, 2011

Um pulo

E nessa tentativa de voltarmos pra nós, 
você se perde mais
e eu não encontro o caminho de volta pra mim. 
Nossa história nos procura. 
Encontra a brecha, se espalha em nossas frestas, 
se instala desesperada no que sentimos, 
se agarra louca ao que podemos ser,
pra depois se rachar ao meio  
toda vez que você desperdiça o momento,
toda vez que eu deixo que o instante se desmanche.
E o sentimento vira brisa, 
movimento preso no gesto falho, 
no afeto que vira nó. 
Tanto ainda pra ser vivido, 
mas como se faz uma história teimosa 
que termina sem acontecer, 
que não começa e não chega ao fim? 
Como se vive algo que se desmancha 
a cada palavra impensada, 
a cada silêncio fúnebre, 
a cada fuga de si? 
E como se acaba
o que é tão vivo no lado de dentro 
e só poeira no lado de fora? 
E nessa busca incessantemente inerte, 
vou ensaiando sonhos de não te lembrar, 
você vai treinando fantasias de me esquecer.
Quem sabe da certo,
o que vai dizer como acontecer?

julho 25, 2011

Encontro

É difícil recordar o ultimo abraço, depois de tanto tempo.
É difícil lembrar o ultimo sorriso, com as lágrimas escorrendo.
A saudade não aumenta, nem diminui; permanece.
Sinto sua respiração, como se nunca deixaste meu lado.
O desejo da sua presença, do seu toque, do seu sorriso.
Longe estas, mas saberei como te encontrar.
Chegada a hora, o presente se vai.

julho 04, 2011

Milésimo

De repente acordo e sei.
Tudo que eu achei saber.
Não foi nos meus ouvidos que você suspirou,
mas no meu coração.
Não foram meus lábios que você beijou,
mas minha alma.
Um certo milésimo de um presente oportuno.

junho 15, 2011

A parte

Sentir
Dor por sentir
Culpa
Vontade
Realidade
O conto de fada inventado
Real em outro mundo
Esquecido neste.

maio 18, 2011

Nebulosa

Nebulosas, 
Cristalinas linhas,
Estonteantes,
Pacíficas.
Finda-se a viagem, 
o passeio da ilusão.
Cria-se no mistério, no calor da descoberta.
Ausente como o mar,
na escuridão do meu anseio,
Nebulosa cristalina minha,
perdida,
aguarda.

Precipício

Como um espelho,
sem rosto.
Tal lustre,
sem brilho.
Passada errante,
sorriso escondido,
fado perpétuo.
Sinta-me perder.
Melodia, ritmo,
valsa sonífero.
Tarde fim 
de um precipício.

maio 09, 2011

É desse jeito

Não sei porque insisto tanto em te querer,
 se você sempre faz de mim o que bem quer.
 Se ao teu lado sei tão pouco de você,
 é pelos outros que eu sei quem você é.
 Eu sei de tudo, com quem andas, aonde vais,
 mas eu disfarço o meu ciúme mesmo assim 
pois aprendi que o meu silêncio vale mais 
(e desse jeito eu vou trazer você pra mim).
 Como um prêmio, 
eu recebo o teu abraço subornando o meu desejo tão antigo, 
e fecho os olhos para todos os teus passos.. 
Me enganando, só assim somos amigos! 
Por quantas vezes, me da raiva te querer.. 
Em concordar com tudo que você me faz. 
Já fiz de tudo pra tentar te esquecer, 
falta coragem pra dizer que ‘nunca mais’.
 Nós somos cumplices, nós dois somos culpados. 
No mesmo instante em que teu corpo toca o meu 
já não existe nem o certo nem o errado, 
só o amor que por encanto aconteceu! 
E é só assim que eu perdoo os teus deslizes 
e é assim o nosso jeito de viver;
 Em outros braços tu resolves tuas crises, 
em outras bocas não consigo te esquecer.

março 03, 2011

A Ausente - Vinicius de Moraes

Amiga, infinitamente amiga
Em algum lugar teu coração bate por mim
Em algum lugar teus olhos se fecham à idéia dos meus.
Em algum lugar tuas mãos se crispam, teus seios
Se enchem de leite, tu desfaleces e caminhas
Como que cega ao meu encontro...
Amiga, última doçura
A tranqüilidade suavizou a minha pele
E os meus cabelos. Só meu ventre
Te espera, cheio de raízes e de sombras.
Vem, amiga
Minha nudez é absoluta
Meus olhos são espelhos para o teu desejo
E meu peito é tábua de suplícios 
Vem. Meus músculos estão doces para os teus dentes
E áspera é minha barba. Vem mergulhar em mim
Como no mar, vem nadar em mim como no mar
Vem te afogar em mim, amiga minha
Em mim como no mar...

fevereiro 20, 2011

Lembrança

Ele procura aqueles lábios,
carinhosamente,
suave.
A vontade,
apaixonado,
de uma beleza improvável.
Um beijo relembrado.

fevereiro 11, 2011

Tropeços com Hematomas

Sou a pessoa mais destrambelhada que eu conheço.
Tropeço a cada esquina em qualquer coisa. 
Seja em um sorriso, uma pedra ou em uma lágrima.
E nem todo tropeço há uma queda. 
Deixam até marcas, mas sem nenhuma dor.
Essas marcas gostosas e importantes da vida, 
se escondem nos cantos das salas, 
nas vigas das escadarias 
ou às vezes estão no meio das praças, 
no meio da rua pra todo mundo tropeçar...
Basta prestar um pouco mais de atenção!
Mas nem todo mundo se dá conta da sensação 
de se deparar com essas coisas,
tropeçar e cair com a mais pura sensação de felicidade.
É que não se explica,
que coisas são essas. 
Mas tenho me dado por contente 
por cada um desses hematomas em mim.

janeiro 26, 2011

Assim

Desisti de salvar o mundo,
quero salvar somente o dia.
Salvar a alegria do nosso encontro,
então me preocupo em manter,
a doçura do rosto,
a leveza do traço,
o balançar do corpo,
meu corpo em teu abraço.
Então me despreocupo,
me ocupo ao teu agrado,
é isso que vale,
o resto ao acaso.

janeiro 03, 2011

Olha.

Não tem como não sorrir,
Para os seus olhos.
Eu sei que quando você para e me olha,
você pensa.
Eu só queria saber o que.
Quando pergunto,
é mais que curiosidade.
É sugestão.
Eu só quero você.
Então me olha, e diz.